Saiba como fazer um planejamento financeiro empresarial

Tempo estimado de leitura: 8 minutos

Quando se tem uma loja, seja ela física ou online, o planejamento financeiro empresarial se torna um elemento importantíssimo para o crescimento do negócio.

Basicamente, o conceito de planejamento financeiro é definir o destino do dinheiro da empresa, de modo que consiga tomar decisões estratégicas e avalie a necessidade de investir ou financiar.

Para não misturar as contas de CPF e CNPJ, acompanhe a leitura e veja como fazer um planejamento financeiro da empresa de forma prática!

Quais são as vantagens de um bom planejamento financeiro empresarial?

Quando há um planejamento financeiro eficiente, a tendência é que a gestão tenha condições de tomar decisões primordiais para o futuro da empresa.

É uma forma de obter um crescimento sustentável, de modo que a saúde financeira da sua loja esteja de acordo com o propósito da marca que está construindo.

É possível ter noção de tudo que a empresa recebe e gasta durante o mês e, com isso, identificar os possíveis fatores que podem atrapalhar sua lucratividade.

Por meio de um planejamento eficiente, você pode identificar as melhores oportunidades, seja para investir em renda passiva, seja para expandir o negócio.

Quais são os principais métodos de planejamento financeiro?

Para administrar bem a sua loja, algumas metodologias podem servir como uma luva e facilitar o seu processo de tomada de decisão.

A análise SWOT, por exemplo, é aquela em que você pode identificar as forças e fraquezas da empresa, bem como as oportunidades de ganhos e possíveis ameaças do mercado.

Já com o ciclo PDCA, a intenção é seguir um fluxo de 4 etapas contínuas que beneficiam o planejamento financeiro e a produtividade da empresa. São elas:

  • plan (planejar) — a intenção é construir os objetivos e as metas do negócio, passando pela gestão de fornecedores, formação de preço de venda, público-alvo, reinvestimentos e assim por diante;
  • do (fazer) — nesta etapa é hora de “arregaçar as mangas” e tirar os objetivos do papel por meio de decisões que ajudem a aumentar as receitas e os lucros;
  • check (checar) — a partir da coleta de dados sobre os resultados conquistados, a análise de indicadores é primordial para averiguar como está o andamento da empresa;
  • action (agir) — conforme a análise de resultados, a missão aqui é tomar decisões que possam ajudar na correção de erros ou expandir o que deu certo.

Por sua vez, com o método do Balanced Scorecard, você pode gerir a empresa por meio de aspectos como finanças, clientes, processos internos e aprendizagem.

Ou seja, depois de pensar nos objetivos e metas, você vai se orientar por indicadores e traçar ações para cumprir — atribuindo pontos para mensurar o seu desempenho.

Quais ferramentas de planejamento podem te ajudar? 

Tão importante quanto utilizar métodos de gestão para um planejamento financeiro empresarial é saber quais ferramentas podem ser úteis.

Dentro desse aspecto, trouxemos abaixo algumas dicas básicas de ferramentas que podem contribuir com um planejamento eficaz.

Planilhas

É o recurso mais utilizado pelos microempresários, pois contabilizar as finanças da empresa em planilhas é um processo relativamente simples.

Tanto faz se você pretende utilizar o Excel, LibreOffice, Google Sheets ou qualquer outro sistema/programa de planilhas, pois as fórmulas não são tão diferentes.

Por meio de planilhas você pode criar abas para controlar as receitas, os gastos, o fluxo de caixa, os investimentos, os financiamentos, o estoque e muito mais.

Aplicativos

Com a correria do dia a dia, torna-se inevitável utilizar os aparelhos móveis para gerir as contas da empresa, sendo que muitos aplicativos gratuitos são extraordinários.

Seja no Google Play, seja no Apple Store, existem diversos apps que podem te ajudar a controlar as finanças e não perder o foco nas vendas.

Boas opções para isso são os apps: Minhas Finanças, Mobills, Guiabolso, Minhas Economias, Organizze, entre outros tipos.

Plataformas de Gestão

Existem alguns sites ou plataformas que são estupendos para controlar as finanças da empresa e as funcionalidades são bem intuitivas.

O Pipefy, por exemplo, é uma plataforma que permite registrar clientes, armazenar notas fiscais, criar relatórios, monitorar as contas e vários outros recursos.

Mas se quiser uma gestão mais simples, você pode utilizar sites como o Trello e o Google Keep, a fim de fazer listas do que recebe e gasta diariamente na empresa.

Qual é o passo a passo para um planejamento financeiro de empresa?

Ao reconhecer as condições reais da sua empresa, torna-se mais simples construir algumas etapas para fazer um planejamento financeiro de qualidade.

A seguir, você vai conhecer um passo a passo prático de como gerir as suas finanças sem sustos e ter a possibilidade de crescer.

Defina os objetivos e as metas

Você já deve ter percebido que batemos algumas vezes nessa tecla durante o texto, não é mesmo? Afinal, é importantíssimo saber exatamente aonde quer chegar. 

Os objetivos costumam ser mais genéricos, mas servem de base para o que pretende, tal como “aumentar o lucro de venda do produto XYZ”.

Já as metas dispõem de uma descrição mais específica, sendo importante levar em conta se é possível alcançar e de que forma isso se torna relevante.

As metas precisam ser mensuráveis e devem obedecer a um período, algo como “aumentar em 15% o lucro de venda do produto XYZ em 3 meses”. 

Registre os seus ganhos

A partir dos caminhos traçados, você deve registrar todos os seus ganhos de forma diária e categorizá-los para tornar a gestão organizada.

Ao fazer isso é possível ter noção da situação da empresa e seguir tendências de venda que podem potencializar suas receitas.

É uma maneira eficiente de analisar o melhor preço de venda, a expectativa de lucro, o pagamento de salários, a retirada de caixa e assim por diante.

É interessante comparar as entradas de cada mês para reparar se há pontos de flutuação das receitas, tais como datas comemorativas e eventos de grande expressão.

Contabilize os seus gastos

Assim como na vida pessoal, o controle de gastos é crucial para analisar se a empresa está navegando de vento em popa ou enfrentando mares turbulentos.

A princípio, saiba que existe uma diferença entre custos e despesas, sendo que o primeiro está ligado ao seu ramo de negócio e o segundo aos gastos administrativos.

Na categoria dos custos, categorize o que é fixo (os valores que são frequentes todo mês) e o que é variável (aqueles que podem variar de acordo com o lucro da empresa).

Com isso, você pode analisar os preços dos fornecedores, identificar os gastos tributários, prazos de entrega e demais aspectos indispensáveis.

Monitore o fluxo de caixa

Depois de registrar os ganhos e os gastos, chega o momento de avaliar como está o fluxo de caixa da empresa e projetar as suas decisões para os próximos meses.

A princípio, coloque tudo o que recebeu à vista e o que será parcelado, identificando o meio de pagamento como dinheiro, boleto, cartão, PIX etc. 

Da mesma forma, coloque as informações dos gastos categorizados em custos fixos e variáveis, bem como as despesas fixas e variáveis.

Analise o saldo de economia diariamente para projetar pagamentos e recebimentos, levando em consideração os investimentos ou a necessidade de capital de giro.

Mantenha um capital de giro

Basicamente, o capital de giro é o valor necessário para manter a sua empresa ativa, de modo que consiga ter perspectivas de crescimento.

É o que garante a saúde financeira da empresa para suprir as contas essenciais de curto prazo, tais como luz, água, aluguel, internet, impostos, salários etc.

O cálculo se baseia nos recursos que dispõe de dinheiro em espécie, crédito e estoque menos as contas a pagar e os impostos.

Para ter um capital de giro aceitável, o ideal é planejar um bom preço de venda, negociar os prazos com seus fornecedores e ter disciplina quanto aos gastos.

Fique de olho em indicadores econômicos

Se você olha a parte de economia do Jornal Nacional e não entende coisa alguma, saiba que é melhor se habituar a compreender as particularidades do mundo financeiro.

Ter atenção aos indicadores macroeconômicos é uma dica de ouro para você ter um bom planejamento financeiro empresarial, especialmente em relação aos gastos.

Se a taxa Selic aumenta, por exemplo, isso pode impactar não somente nos retornos de investimentos, mas nos juros cobrados em empréstimos e financiamentos.

Além da taxa básica de juros, estude sobre a inflação e a cotação do dólar, pois podem impactar no poder aquisitivo dos seus clientes e no custo dos produtos vendidos.

Em resumo, um bom planejamento financeiro empresarial requer foco, disciplina, constância e decisões estratégicas para aproveitar as oportunidades que surgem tanto para a loja física quanto online.

Publicado por dolado

Somos uma empresa B-Pendente, que já ajudou mais de 6.000 clientes a venderem mais e crescerem por meio do nosso catálogo gratuito para pequenos e médios lojistas venderem online, e do nosso site de acessórios de celular, para compra de estoque sem precisar sair da sua loja. Aqui no blog, você tem acesso às melhores dicas para gestão da sua loja, vendas online, saúde financeira e muito mais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: